Trabalhar em casa pode ter um impacto positivo para o meio-ambiente

Pesquisa abordou relação entre home-office e conforto, economia, qualidade de vida e meio ambiente.

O levantamento mapeia os hábitos dos trabalhadores de escritório em todo o mundo, incluindo o Brasil. Em destaque estão os impactos positivos da implementação do trabalho remoto no meio ambiente. Quando perguntados de que maneira o home-office poderia beneficiar suas vidas, a maioria dos mais de 2250 respondentes da pesquisa em nível global citou o fato do trabalho em casa ajudar a reduzir a emissão de gases poluentes, reduzindo, assim, o impacto ambiental que produzem. No Brasil, este é o principal benefício para 77,6% dos trabalhadores consultados.

Os trabalhadores de escritório brasileiros gastam, em média, 50,32 horas por dia no trânsito até o trabalho. A maioria deles, de carro (66,67%) ou transporte público (27,11%), o que faz com que grande parte (88,4%) diga estar frequentemente preocupada em relação ao impacto ambiental que causa durante o deslocamento para o trabalho – 49,2% dizem até se sentir culpados por conta disso.

Outros desafios

Além de ajudar no meio ambiente, a pesquisa revela que o trabalho remoto também é solução para diversos outros desafios do dia a dia dos brasileiros, incluindo: a possibilidade de adotar uma agenda mais flexível (76,80%); economia de dinheiro com transporte e cuidados das crianças (44%); melhor qualidade de vida e felicidade (54%); e, até, aumento na produtividade (56,8%).

Você já parou pra pensar de quantas maneiras o trabalho remoto acaba contribuindo para diminuir os prejuízos ao meio ambiente? Aqui vão algumas maneiras que o ambiente deixa de sofrer a partir do momento que grande parte das pessoas adotam o home office:

Menor emissão de gases que aceleram o efeito estufa

Uma das grandes preocupações ambientais no século XXI é a aceleração do efeito estufa. O que tende a provocar mudanças climáticas que podem tornar a vida insustentável nos próximos anos. Um dos grandes contribuintes para essa aceleração é a viagem diária que os trabalhadores precisam fazer até o local de trabalho.
Todos os dias, milhares de carros nas ruas liberam gases que prejudicam a camada de ozônio e contribuem para essas mudanças climáticas. Fazendo com que as pessoas fiquem em casa para trabalhar, diminui-se consideravelmente esse tráfego — embora ainda haja emissão dos gases do efeito estufa em outras atividades, é uma mudança significativa e o planeta agradece!

Menor produção de lixo

Quando trabalhamos fora de casa, é comum produzir mais lixo do que o necessário. Alguns documentos que no trabalho presencial costumam ser impressos em papel, no regime remoto são substituídos por versões virtuais, diminuindo consideravelmente o uso de papel e a quantidade de “lixo de escritório” produzida.
Além disso, ao trabalhar fora, muitas pessoas acabam consumindo alimentos comprados em cantinas, mercados e lojas. Tais alimentos muitas vezes vêm com embalagens descartáveis que, se não descartadas adequadamente, não são recicladas e contribuem para a poluição de cidades, rios, lagos e oceanos.

Menor uso de combustíveis poluentes e insustentáveis

Grande parte dos países ainda dependem de combustíveis poluentes como a gasolina para alimentar automóveis e manter a cidade em movimento.

Levando em consideração que, no regime home office, as pessoas não precisam sair de casa para trabalhar, há uma diminuição significativa no consumo de tais combustíveis.
Embora ainda existem muitas coisas a serem feitas para alcançar um futuro mais sustentável, o trabalho remoto parece ser uma das soluções mais fáceis de implementar no momento — não é a toa que muitas empresas pensam em manter este modelo até mesmo depois da pandemia, quando o isolamento social não for mais necessário.

Fontes: Postura Sustentável – Notícia Sustentável