Biomimética

Biomimética: copiar a natureza pode gerar bilhões em novos negócios.
Profissionais e empreendedores de várias áreas estão buscando inspiração na natureza para criar projetos, negócios e produtos inovadores.
Em um tempo em que escassez de recursos naturais, sustentabilidade e tecnologia são temas centrais e os modos de gerir pessoas e negócios já não dão conta de resolver os desafios impostos, uma área do conhecimento ganha espaço apostando na natureza como forma de inspiração: a biomimética.

Ao longo de anos, o homem acostumou-se a olhar para a natureza como uma entidade a serviço da humanidade ou algo distante para ser contemplado. Essa mentalidade, no entanto, está cada vez mais desconectada dos dias atuais. “A biomimética é uma ponte entre a ciência e as demandas contemporâneas do mundo”, diz a bióloga Alessandra Araújo, especialista em biomimética pela Universidade do Arizona e fundadora da consultoria Bio-Inspirations.

A biomimética começou a ganhar popularidade há pouco mais de 20 anos por meio do trabalho da bióloga americana Janine Benyus, cofundadora do Biomimicry 3.8 e do Biomimicry Institute, que oferecem serviços de consultoria e educação sobre o tema.

Embora pouco conhecida no Brasil, a metodologia foi apontada em 2014 pela revista Forbes como uma das cinco principais tendências que vão orientar os negócios do futuro.

Um estudo da Universidade Nazarena de Point Loma, na Califórnia, estimou que a disciplina deverá representar 300 bilhões de dólares no PIB dos Estados Unidos e gerar 1,6 milhão de empregos no país até 2025.

Modos de usar

Pelo método desenhado por Janine Benyus, existem duas formas de criar usando a biomimética. A primeira é partir de um desafio ou necessidade real (como filtrar água, fixar objetos em uma superfície ou economizar energia) e investigar de quais estratégias a natureza dispõe para resolver tarefa semelhante.

A outra é olhar para determinado fenômeno natural, forma ou função desempenhada por um organismo ou sistema e pensar de que maneira ele pode ser útil e reproduzido na prototipagem de produtos ou soluções.

Compreendendo organizações como ecossistemas complexos, pode-se buscar na inteligência da natureza inspirações para trabalhar competências e resolver problemas do dia a dia corporativo.

Os valores que hoje norteiam modelos de negócios inovadores e uma nova economia são os mesmos que a natureza usa há milhões de anos em seus processos, como resiliência, cooperação, eficiência e liderança”, diz o biólogo Ricardo Mastroti , mestre na disciplina pela Universidade do Arizona e consultor . No meio ambiente há uma floresta de ideias esperando para ser semeada pelas organizações.

Fonte: Você S/A