Antropoceno – a nova Época Geológica da Terra?

O prêmio Nobel de Química de 1995, o holandês Paul J. Crutzen, aterrorizado pela magnitude das intervenções do homem na natureza, afirmou que inauguramos uma nova época geológica: o Antropoceno, substituindo a atual, o Holoceno (11,5 mil anos).
É a idade das grandes dizimações perpetradas pela irracionalidade do ser humano (antropos, em grego).

Para Paul Crutzen, especialista em química atmosférica, a forma como a atividade humana está mudando a composição da atmosfera ao lançar fumaça de automóveis, chaminés e queimadas, provocou um aumento de temperatura de 1ºC, o derretimento das geleiras e o aumento do nível do mar em, até o momento, 20 centímetros.

Isso sem falar em como a humanidade alterou fisicamente o planeta, com concreto e aço. Um exemplo claro são os rios: nas últimas décadas, transformamos os cursos de rios de todas as bacias hidrográficas do mundo construindo 40 mil barragens.

O impacto humano no meio ambiente é evidente. Mas será que essas mudanças são realmente intensas e duradouras a ponto de ficarem gravadas na rocha?

 

O pesquisador britânico Jan Zalasiewicz, da University of Leicester, explica como funciona esse estudo.

Uma mudança de época precisa ser justificada por provas marcadas nas rochas, assim como para qualquer outra época, era ou período da histórica geológica da Terra.

 

Nós sabemos que o Pleistoceno acabou (a Era do Gelo) porque a retração do gelo pode ser identificada na Groenlândia. Assim como o período Cretáceo, há 66 milhões de anos, porque entre uma rocha e outra há elementos químicos que só podem ser explicados pela queda de um meteoro – o mesmo que exterminou os dinossauros. Ora, se os seres humanos se tornaram o principal motor do planeta, isso tem de ficar marcado, de alguma forma, no estrato geológico.

 

Muitas evidências da passagem humana pelo planeta não são visíveis aos olhos, mas são igualmente impactantes: nós até mesmo mudamos a porcentagem de elementos radiativos presentes no planeta, graças a explosões de mais de 2 mil testes de bombas atômicas. Não por acaso, Zalasiewicz sugere que a data do início do Antropoceno poderia ser 16 de julho de 1945, o dia do primeiro teste da bomba atômica na história.

Como disse o teólogo Leonardo Boff: “Assim termina tristemente a aventura de 66 milhões de anos de história da Era Cenozóica. Começa o tempo da obscuridade“. Segundo ele, “já não se trata de salvar nosso bem estar, mas a vida humana e a civilização“.

Síntese de duas publicações: Blog do Planeta/Revista Época e Artigo do IHU – Instituto Humanitas Unisinos

Para saber mais sobre as Eras Geológicas: clique aqui