Medidor individual de água gera economia, mas exige investimento

Economia de até 40% na taxa de condomínio, valorização de 5% do imóvel e suspensão de algumas discussões nas reuniões do prédio.

Hoje, segundo empresas do ramo, 40% dos edifícios em São Paulo têm medidores que fazem a cobrança de água conforme o uso de cada unidade. Nos outros 60%, o condomínio recebe uma fatura única pelo consumo geral, o valor é dividido pelo número de apartamentos e cobrado na taxa de condomínio. A conta de água representa de 10% a 12% desses custos. Por lei, os novos edifícios devem prever, durante a construção, a possibilidade de individualização.


É importante que haja previsão de instalação do medidor individual já na planta do prédio. É um fator de venda e o imóvel valoriza cerca de 5%, afirma Hubert Gebara, vice-presidente de administração imobiliária do Secovi-SP (Sindicato da Habitação). Além disso, a economia na taxa de condomínio, com a medição individual, pode chegar a 40%, à medida que o morador reduz o consumo, ao perceber o valor gasto.

AUTOGESTÃO

Segundo empresas do setor, a procura pela medição individual aumentou 50% no último ano e o investimento fica entre R$ 700 e R$ 1.500 por apartamento. A maioria dos prédios que instala o sistema que permite a medição individual faz a chamada ‘autogestão’. Na prática, a empresa contratada para instalar os medidores também fica responsável pela leitura mensal dos aparelhos e divisão da conta de acordo com o consumo de cada apartamento.

ECONOMIA

O estatístico João Fernando Serrajordia Rocha de Mello, 34, diz economizar, em média, R$ 75 mensais no valor do condomínio desde o ano passado, quando seu prédio optou pelo sistema de medição individual de água.

Mello conta que o consumo da casa é baixo, já que ele e a mulher passam o dia fora.

“O valor do condomínio era de R$ 430 e hoje pago cerca de R$ 355. Uma economia de quase 20% no custo total”, diz. “Os valores são cobrados na taxa de condomínio, mas vêm descritos no boleto.”

COMODATO

A empresa WaterPro, especializada em reduzir o consumo de água em condomínios mediante a troca de equipamentos, oferece a possibilidade de instalar os medidores individualizados de água em regime de comodato. Dessa forma, os valores investidos serão diluídos ao longo do tempo viabilizando a execução do projeto. Segundo o seu diretor, André Mauad, outra enorme vantagem para o condomínio é ter a garantia de manutenção dos medidores durante todo o período de contratação. A medição do consumo disponibilizada por aplicativos aos administradores do condomínio, a detecção de vazamentos e as eventuais trocas de aparelhos danificados passam a fazer parte integrante do contrato. E, acima de tudo, estaremos contribuindo para o uso racional da água.

Fonte: Folha de São Paulo e Equipe Sustentabil