As famílias mais ricas do mundo investem em Sustentabilidade

São 121 famílias em todo o mundo com patrimônio  líquido total de mais de US$ 142 bilhões (cerca de R$ 750 bilhões).

Segundo a pesquisa do banco suíço UBSGlobal Family Office Report 2020, entre março e maio as dificuldades aumentaram, mas as gestoras da riqueza das 121 famílias mais ricas do mundo, conseguiram implementar estratégias de investimentos bem-sucedidas. Constataram que 73% dos escritórios que administram esses patrimônios optam por alocar uma parte dos ativos para investimentos relacionados à Sustentabilidade.

De acordo com o relatório Ubs, a tendência aumentará nos próximos anos: 39% dos escritórios familiares pretendem investir a maior parte de seu portfólio de maneira sustentável em até cinco anos. Estimam passar de uma alocação atual de 9% para uma alocação de 19% do total dos ativos em segmentos que respeitem critérios ESG (Ambiente, Social, Governança, na tradução da sigla em inglês).

Como vai investir a próxima geração

A análise da Ubs também faz algumas previsões sobre a próxima geração de investidores. Os herdeiros das famílias mais ricas do mundo que agora têm entre 20 e 30 anos, e que terão entre 30 e 40 quando assumirão o controle de seus impérios, estão mais interessadas em financiar atividades filantrópicas e de sustentabilidade.

Para especialistas do mercado, conforme as economias reabrem ao redor do mundo, é essencial que as empresas e os investidores não adotem o padrão pré-pandemia. O Covid-19, na visão deles, apresenta uma obrigação única de repensar as relações entre empresas, mercados, governos e sociedade. Isso mudaria os mercados e as economias para uma forma mais sustentável de capitalismo.

Além do retorno financeiro, a categoria de investimentos que segue os padrões ESG, está em alta no mercado, presente em debates de gestores e, recentemente, integrando as carteiras de fundos ou instituições financeiras. Os investidores ao redor do mundo descobriram recentemente, que o retorno oferecido por esse tipo de investimentos é atrativo, aumentando sua demanda no mercado.

Investimentos ESG no Brasil

XP Inc. (Nasdaq: XP) anunciou no mês passado a criação de um conselho e iniciativas ESG para fornecer produtos, serviços, conteúdo e recomendações focados nos parâmetros ambientais, sociais e governamentais. A empresa afirmou que busca “liderar iniciativas de ESG no mercado financeiro brasileiro, democratizando o acesso a conteúdos e produtos aos clientes”.

Abaixo estão alguns destaques das iniciativas ESG da empresa:

  • O compromisso da XP com a igualdade de gênero, com o objetivo de aumentar o número de funcionárias em 10% em um ano;
  • Dedicar R$ 100 milhões como capital inicial para o desenvolvimento de um ecossistema ESG de fundos de investimento, que focam em estratégias exclusivas dos principais gestores brasileiros que investem em empresas com altos padrões ESG;
  • Construir uma nova sede com padrões “eco-friendly” e energia 100% renovável, que será alinhada com a intenção de adotar opções de trabalho remoto permanentes;
  • Lançar o movimento Juntos Transformamos, que gerou R$ 32 milhões em doações no total, sendo R$ 5 milhões dedicados a iniciativas de saúde e o restante destinado ao fornecimento de alimentos para os mais necessitados.

Especialistas do mercado financeiro brasileiro acreditam que a emissão de bônus ESG tem potencial para ser “muito mais amplo” caso os segmentos de crédito e imobiliário sejam observados com mais atenção pelo mercado.

Fonte: Suno Research